''O cara'' do Princesa, Michel Parintins não teme Chapecoense: ''11 contra 11''

Por Gabriel Mansur- Manaus
Michel Parintins conta com experiência na Copa do Brasil (Foto: Adeilson Albuquerque)
Depois de um ano vestindo as cores do Fast Clube, o meia Michel Parintins está de volta ao Princesa de Solimões. Pelo clube de Manacapuru, o interiorano foi vice-campeão amazonense em 2014. Ele conquistou a artilharia da competição, com 11 gols, na oportunidade. Pode-se dizer que o histórico no Tubarão de Norte credita ao jogador o título de protagonista do elenco para a temporada de 2016.

Com propriedade para falar por todo o grupo, o meia avaliou o duelo mais importante da equipe neste primeiro semestre - e, provavelmente, de toda a temporada: a Chapecoense, pela primeira fase da Copa do Brasil.

- Nossa estratégia é trabalhar bastante a bola dentro de casa, dar o máximo, jogar sempre para frente. É claro que a parte física tem que estar 100%, pois eles já vem atuando no Campeonato Catarinense, estão em atividade, mas no campo são 11 contra 11. Nós vamos priorizar o fator o campo, levar uma vantagem para o 2º jogo - disse o atleta.

A respeito da pressão de ser ''o cara'' da equipe, Parintins minimizou. Para ele, seu objetivo não é marcar os gols, mas dar condições aos atacantes de balançarem as redes. 

- Minha função como meia é deixar os atacntes em posição de marcar os gols. Se eu puder fazer gol e ajudar o time a vencer, será muito bom também. Só precisamos trabalhar com fé e continuar com a humildade de sempre - completou.

Ele ainda elevou a qualidade técnico tanto do elenco quando to treinador do time, Zé Marco, que foi reintegrado ao clube após boa campanha em 2015.
Michel Parintins (3º da esquerda para direita) foi vice-campeão estadual em 2014 (Foto: Adeilson Albuquerque)
A minha intenção é ajudar o Princesa. O elenco é bom. O treinador é bom. A torcida do Princesa vai sempre em massa. Jogar no Princesa hoje é lidar com uma responsabilidade grande, mas eu pretendo trabalhar bastante, procurar meu espaço dentro do time, pois a concorrência
é muito grande - concluiu.

Comentários